A Evolução da Comunicação

A cada ano que passa entramos em uma nova “Era Digital”, passando por transformações e novos desafios para as mídias tradicionais, sempre precisando satisfazer às pessoas ligadas fortemente a essas empresas e serviços de comunicação. E para entender esse fluxo de informação e fazer a análise dos dados gerados, considerando o volume, sua variedade e velocidade, precisamos de novas ferramentas que possam seguir o crescimento e a influência dessas mídias. Principalmente porque, ao lado da comunicação social, evoluíram também a corporativa e a comercial.

A evolução da comunicação, dos jornais e revistas aos tempos atuais

Mas, como essa evolução começou?

O ser humano sempre fez uso de mídias para registrar e transmitir informações. Talvez isso tenha começado durante a pré-história. Mesmo não existindo ainda a escrita, o homem já se utilizava de desenhos feitos nas paredes das cavernas para contar histórias. Com o desenvolvimento da escrita, surgiram também os meios de comunicação formais. E é sobre esses meios que vamos falar nesse e nos próximos posts:

  1. Jornais, Revistas e Outros Impressos;
  2. Rádios e Mídias de Áudio;
  3. Televisão, Imagens e Realidade;
  4. Internet – A Globalização.

Vamos tratar um pouco da história de cada uma dessas mídias e como a empresas acompanharam seus processos evolutivos, adaptando o relacionamento empresa/cliente à realidade cultural e tecnológica vigente.

Primeira Parte: Jornais, Revistas e Outros Impressos

Com a invenção da Tipografia (letras feitas em ferro e posicionadas com tinta sobre o papel) por volta de 1430 na Alemanha, Johannes Gutenberg criou uma maneira de impressão rápida, confeccionando assim jornais, revistas e panfletos. A partir dessa data, uma nova forma de comunicação foi criada.

Com o passar do tempo, ela foi sendo modificada para atender a todos, como as “cartas noticiosas”, que eram feitas para transmitir notícias dos navegantes ao comércio, mas também para noticiar os reis da época sobre novas descobertas.

No Brasil, em 1808, foi criada a “Gazeta do Rio de Janeiro” pelo Frei Tibúrcio José da Rocha. Primeiro jornal impresso no país, ela divulgava comunicados oficiais do governo. Na época havia um outro jornal em circulação por aqui: o “Correio Braziliense”, com pautas liberais, era editado em Londres e enviado clandestinamente para cá. Com a independência, ambos deixaram de circular.

No século passado, abandonando seu caráter artesanal, a imprensa começa a constituir “gráficas” para a confecção dos jornais e revistas profissionais. E com a evolução das artes gráficas, começaram então a imprimir também ilustrações e fotos, tornando assim seu produto mais atrativo.

Desde o início, os jornais e revistas traziam em suas páginas, além dos artigos de interesse da época, divulgações institucionais, comunicados de empresas e anúncios diversos. Vendia-se de tudo, de animais e móveis até escravos! Contudo, a primeira agência de publicidade só nasceu em 1913.

Da mídia impressa à comunicação em tempo real

Nos dias atuais, com a internet, as informações estão na palma da mão dos usuários em tempo real, através dos smartfones e tablets. É cada vez mais raro o acompanhamento de notícias e anúncios por jornais e revistas impressos, o que vem forçando empresas e clientes a seguirem por caminhos digitais para se comunicarem. Nessa nova realidade, sites, redes sociais e comunicadores on-line tornaram-se ferramentas fundamentais para a interação social e corporativa.

No próximo post, continuaremos a falar sobre a história e evolução dos meios de comunicação.

Adicionar um Comentário